Dicionário de Cultura Básica/Hesíodo

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Hesíodo


HESÍODO (escritor grego do período arcaico: poesia didática)

Um dia, ora é mãe, ora é madrasta.

Hesíodo é um dos primeiros poetas da Grécia Antiga de que temos traços biográficos historicamente comprovados. Ele foi o maior expoente da poesia "didática", a atividade artística preocupada com o ensinamento da realidade cotidiana, especialmente da vida campesina. Nasceu na Beócia, no século VII a.C., filho de um comerciante marítimo. Teve um irmão, Perses que, depois de ter dissipado a sua parte da herança paterna, se apoderou também da parte pertencente a Hesíodo, corrompendo os juízes. O poeta faz referência a esse episódio de sua vida na obra que o tornou imortal, Os trabalhos e os dias, onde exalta a importância do sentimento da justiça e do trabalho, dedicando o longo poema ao próprio irmão. O tratado está dividido em quatro partes: 1) Exortação ao trabalho; 2) Preceitos sobre a agricultura e a navegação;3) Preceitos sobre a vida moral; 4) Calendário sobre os dias bons e os dias ruins para o cultivo da terra. O motivo fundamental que percorre o poema todo é a existência da dor no mundo (mito da passagem da Idade de Ouro para a Idade de Ferro), mas essa dor pode ser mitigada pela prática do trabalho e da justiça entre os homens. Outro poema importante de Hesíodo é a Teogonia, tratado mitológico sobre as origens dos deuses e do mundo, semelhante ao livro Gênese, da nossa Bíblia. A transcrição do seguinte trecho serve melhor do que qualquer comentário para sentirmos o sabor da obra:

"Primeiro que tudo houve o Caos,
e depois a Terra de peito ingente,
suporte inabalável de tudo quanto existe,
e Eros, o mais belo entre os deuses imortais,
que amolece os membros e, no peito de todos os homens e deuses,
domina o espírito e a vontade esclarecida.
Do Caos nasceram o Érebo e a negra Noite,
e da Noite, por sua vez, o Éter e o Dia.
A Terra gerou primeiro o Céu constelado,
com o seu tamanho, para que a cobrisse por todo
e fosse para sempre a mansão segura dos deuses bem-aventurados.
Gerou ainda as altas montanhas, morada aprazível das deusas Ninfas,
que habitam os montes cercados de vales."