Em flor vos arrancou, de então crescida

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Em flor vos arrancou, de então crescida)
por Luís Vaz de Camões
Poema agrupado posteriormente e publicado em Obras completas de Luis de Camões (1843, v. II)

Em flor vos arrancou, de então crescida,
(Ah Senhor Dom Antonio!) a dura sorte
Donde fazendo andava o braço forte
A fama dos antiguos esquecida.

Huma só razão tenho conhecida
Com que tamanha mágoa se conforte:
Que se no Mundo havia honrada morte,
Não podieis vós ter mais larga vida

Se meus humildes versos podem tanto
Que co'o desejo meu se iguale a arte,
Especial materia me sereis

E celebrado em triste e longo canto,
Se morrestes nas mãos do fero Marte,
Na memoria das gentes vivireis.