Encontrei certo Leigo franciscano

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Encontrei certo Leigo franciscano)
por José Caetano de Figueiredo
Poema agrupado posteriormente e publicado em Poesias eroticas, burlescas e satyricas . Outros editores costumam atribuir este poema erroneamente ao Bocage.[1]

Encontrei certo Leigo franciscano,
Com os olhos no chão, pedindo esmola;
Dos hombros lhe pendia alva sacola,
Celeiro, que dá pão p′ra todo o anno:

Queria o leigo armar-me um bello engano,
E fazer-me cahir na carriola;
Mas eu que sigo esta moderna escóla,
Só chicóte daria ao tal magano:

Como é possivel que a nação contente
Mantenha ufana, e liberal soccorra
A tão inútil e ociosa gente?

Elles tem que comer á tripa-forra;
Eu, por mais que trabalhe, ando indigente.
Se o torno a encontrar, dou-lhe co′a porra!

Notas[editar]

  1. SILVA, Inocêncio Francisco da (Org.). Poesias eroticas, burlescas e satyricas. Bruxellas: [S. n.], 1900. p. 208.