João Ferreira de Almeida (1819)/Mattheus/III

Wikisource, a biblioteca livre
< João Ferreira de Almeida (1819)‎ | Mattheus
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
S. Mattheus - Capitulo III
por João Ferreira de Almeida


  1. E'NAQUELLES dias veyo Joaõ Bautista, pregando no deserto de Judea.
  2. E dizendo: Arrependeivos, porque chegado he o Reyno dos ceos.
  3. Porque este he aquelle, do qual foy dito pelo Propheta Isayas, que disse: Voz do que clama no deserto; aparelhae o caminho do Senhor, enderençae suas verédas.
  4. E tinha este Joaõ seu vestido de pelles de camelo, e hum cinto de couro a o redor de seus lombos, e seu sustento era gafanhotos e mel do mato.
  5. Entaõ sahia a ellle Jerusalem, e toda Judea, e toda a provincia do redor do Jordaõ.
  6. E foraõ d'elle bautizados em o Jordaõ, confessando seus pecados.
  7. E vendo elle a muytos dos Phariseos, e dos Sadduceos, que vinhão a seu bautismo, dizia-lhes: Raça de biboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir.
  8. Dae pois fruitos dignos de conversão.
  9. E naõ presumaes, dizendo em vos mesmos: a Abraham temos por pae. Porque eu vos digo, que até destas pedras Deus pode despertar filhos a Abraham.
  10. E ja agora está tambem o machado posto á raiz das arvores; assi que toda arvore que naõ dá bom fruito, corta-se, e lança-se no fogo.
  11. Beu vos bautizo eu com agoa para conversaõ; mas aquelle que após my vem, mais podeoroso he que eu, cujas aplarcas naõ sou digno levar. Este vos bautizará com Espirito Sancto, e com fogo.
  12. Cuja pá tem ja em sua maõ, e alimpará sua eira, e no celleiro recolherá seu trigo, e a palha queimará com fogo que nunca se apaga.
  13. Entaõ veyo Jesus de Galilea a Joaõ a o Jordaõ, para d'elle ser bautizado.
  14. Mas Joaõ lhe resistia muyto, dizendo; eu hei mister ser bautizado de ty, e vens tu a my?
  15. Porem respondendo Jesus, disselhe; Deixa por agora, porque assi nos convem cumprir toda justiça. Entaõ elle o deixou.
  16. E sendo Jesus bautizado, subio logo da agoa. E eis que os ceos se lhe abríraõ, e vio a o Espirito de Deus, que descendia como pomba, e vinha sobre elle.
  17. E eis huma voz dos ceos, que dizia: Este he meu Filho amado, em quem me agrado.