João Ferreira de Almeida (1819)/Mattheus/XXI

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
  1. E COMO chegaraõ perto de Jerusalem, e viéraõ a Bethphage, a o monte das Oliveiras; entonces mandou Jesus dous discipulos, dizendolhes:
  2. Ide á aldea que de fronte de vos está, e logo achareis huã burra liada, e hum poldro com ella; desliae a, e trazeim'os.
  3. E se alguem vos disser alguã cousa, direis: Que o Senhor os ha mister, e logo os enviará.
  4. Ora tudo isto aconteceo, paraque se cumprisse o que foy dito pelo Propheta, que disse:
  5. Dizei á filha de Siaõ: Ves aqui teu rey te vem manso, e assentado sobre huã burra, e hum poldro, filho de burra de jugo.
  6. E indo os discipulos, e fazendo como Jesus lhes mandàra;
  7. Trouxeraõ a burra e o poldro, e puseraõ sobre elles seus vestidos, e o fizeraõ assentar sobre elles.
  8. E a mais companha estendiaõ seus vestidos pelo caminho, e outros cortavaõ ramos das arvores, e os espalhavaõ pelo caminho.
  9. E as companhas que hiaõ diante, e as que seguiam, clamavaõ, dizendo: Hosanna a o filho de David; bendito o que vem em o nome do Senhor; Hosanna em as alturas.
  10. E entrando elle em Jerusalem, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: Quem he este?
  11. E as companhas diziaõ: Este he Jesus, o Propheta de Nazareth de Galilea.
  12. E entrou Jesus no Templo de Deus, e lançou fora a todos os que vendiaõ, e compravaõ no Templo, e trastornou as mesas dos cambiadores, e as cadeiras dos que vendiaõ pombas.
  13. E disselhes: Escrito está; Minha casa, casa de oraçaõ será chamada; mas vosoutros a tendes feito cova de salteadores.
  14. E viéraõ a elle cegos e coixos a o Templo, e curou os.
  15. Vendo entaõ os principes dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia, e os meninos clamando no Templo, e dizendo: Hosanna a o filho de David; indignáraõ se.
  16. E disseraólhe: Ouves o que estes dizem? e Jesus lhes disse: Si; nunca lestes: Da boca dos meninos, e dos que mamaõ, te aperfeiçoaste o louvor?
  17. E deixando os, sahio se fora da cidade para Bethania, e passou ali a noite.
  18. E pela manhaã, tornando para a cidade, teve fome.
  19. E vendo huã figueira perto do caminho, veyo a ella, e naõ achou nella senaõ folhas somente. E disse lhe: Nunca de ty mais naça fruito pera sempre. E logo a figueira se secou.
  20. E vendo os discipulos isto, maravilháraõ se, dizendo: Como se secou logo a figueira?
  21. Porem respondendo Jesus, disselhes: Em verdade vos digo, Que se tivereis fé, e naõ duvidareis, naõ só isto faríeis á figueira, mas se até a este monte dissereis: Alça te, e lança te no mar; farsehia.
  22. E tudo o que na oracaõ pedirdes, crendo, o recebereis.
  23. E como veyo a o Templo, chegaraõ a elle, estando ja ensinando, os principes dos sacerdotes, e os anciaos do povo, dizendo: Com que autoridade fazes isto? e quem te deu esta autoridade?
  24. E respondendo Jesus, disselhes: ambem eu vos'perguntarei huã palavra; a qual se m'a disserdes, tambem eu vos direi, com que autoridade isto faço.
  25. O bautismo de Joaõ d'onde era? do ceo, ou dos homens? e pensavaõ em si mesmos, dizendo: Se dissermos, Do ceo, dir-nos-ha: Porque pois lhe naõ crestes?
  26. E se dissermos, Dos homens, tememos a companha: Porque todos tem a Joaõ por propheta.
  27. E respondendo a Jesus, disseraõ: Naõ sabemos. E elle lhes disse: Nem eu tampouco vos direi com que autoridade isto faço.
  28. Mas que vos parece? Hum homem tinha dous filhos; e chegandose a o primeiro, disse: Filho, vae hoje a trabalhar à minha vinha.
  29. Porem respondendo elle, disse: Naõ quero; e despois, arrependido, foyse.
  30. E chegando se a o segundo, disse lhe da mesma maneira: e respondendo elle, disse: Eu, senhor vou, e naõ se foy.
  31. Qual dos dous fez a vontade do pae? dizemlhe elles; O primeiro. Diz lhes Jesus: Em verdade vos digo, que os publicanos e as solteiras se vos vaõ diante a o reyno de Deus.
  32. Porque veyo o vosoutros Joaõ, por via de justiça, e naõ lhe crestes; mas os publicanos, e as solteiras-lhe creraõ: porem vosoutros, vendo isto, nem despois vos arrependestes, pera lhe crer.
  33. Ouvi outra parabola. Houve hum homem pae de famílias, o qual prantou huã vinha, e cercou a com valado, e fundou nella hum lagar, e edificou huã torre, e arrendou a a huns lavaradores, e partiose pera fora da terra.
  34. E chegandose o tempo dos fruitos, mandou seus servos a os lavradores, pera receberem seus fruitos.
  35. E os lavradores tomando a seus servos, a hum feriraõ, e a outro matáraõ, e a outro apedrejáraõ.
  36. Outra vez mandou a outros servos, mais que os primeiros, e fizeraõ lhes o mesmo.
  37. E por derradeiro lhes mandou a seu filho, dizendo: Teráõ respeito a meu filho.
  38. Mas os lavradores vendo a o filho, disseraõ entre si: este he o herdeiro, vinde, matemo-lo, e tomemos sua herdança.
  39. E tomando, o lançáraõ fora da vinha, e o matáraõ.
  40. Pois, quando vier o Senhor da vinha, que fará a aquelles lavradores?
  41. Dizem lhe elles: A os maos má morte dará, e a vinha arrendará a outros lavradores, que lhe dem os fruitos a seus tempos.
  42. Diz lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores regeitáraõ, esta foy feita por cabeça da esquina? pelo Senhor foy feito isto; e he maravilhoso em nossos olhos.
  43. Portanto vos digo, Que o reyno de Deus se vos tirará a vos outros, e se dará á gente que renda seus fruitos.
  44. E quem cair sobre esta pedra, será quebrantado; e sobre quem ela cair, esmiuça-lo-ha.
  45. E ouvindo os principes dos sacerdotes, e os Phariseos estas suas parabolas, entendéraõ que fallava d'elles.
  46. E procurando prende-lo, temeraõ as companhas; porquanto o tinhaõ por Propheta.