Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v1.djvu/110

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Só um olhar por compaixão te peço,

Um olhar.... mas bem lânguido, bem terno...
.......................................
Quero um olhar que me arrebate o siso,
Me queime o sangue, m'escureça os olhos,
Me torne delirante!
ALMEIDA FREITAS
 
Sur votre main jamais votre front ne se pose,
Brûlant, chargé d'ennuis, ne pouvant soutenir
Le poids d'un douloureux et cruel souvenir;
Votre coeur virginal en lui-même repose.
Th. Gautier
 
Ricorditi di me...............

DANTE, Purgatório

 
Quando falo contigo, no meu peito
Esquece-me esta dor que me consome:
Talvez corre o prazer nas fibras d'alma:
E eu ouso ainda murmurar teu nome!
 
Que existência, mulher! se tu souberas
A dor de coração do teu amante,