Peregrinaçam/LVIII

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peregrinaçam por Fernão Mendes Pinto
CAP. LVIII.
Do que Antonio de Faria fez em Lailoo, onde ſe apercebeo para yr pelejar com Coja Acem.


Surgindo nòs ao outro dia pela menham no porto de Lailoo, o Quiay Panjão que Antonio de Faria leuaua por companheyro, que como ſe ja diſſe, era Chim de naçaõ, & tinha muytos parentes naquella terra, & era nella muyto conhecido & validocom todos, pedio ao Mandarim, que era Capitão do lugar, que por noſſo dinheyro nos deſſe o q̃ ouueſſemos myſter, o que lhe elle concedeo, aſsi pelo receyo que teue de lhe poderẽ fazer algum dano, como por hũa peita de mil cruzados que Antonio de Faria lhe deu por iſſo, com que ficou ſatisfeito. E deſembarcando algũs dos noſſos em terra, compraraõ logo com muyta preſſa todas as couſas de que tinhaõ neceſsidade, como foy ſalitre, & enxofre para poluora, chumbo, pilouros, mantimentos, amarras, azeite, breu, eſtopa, madeyra, taboado, armas, zargunchos, paos toſtados, vergas, paueſes, entenas, calhao, polliame, driças, & ancoras, fizeraõ agoada, & ſe proueraõ de eſquipação de gente do mar, porque ainda que eſte lugar não era de mais que de trezentos atè quatrocentos vezinhos, auia tanto diſto nelle, & pelas aldeas ao redor, que em verdade affirmo que quaſi faltão palauras para o encarecer, porque eſta excellencia tem a terra da China ſobre todas as outras, ſer mais abaſtada de tudo o que ſe pode deſejar, que todas quantas ha no mundo. E como Antonio de Faria era muyto largo de condiçaõ, & deſpendiado mõte mayor, pagaua eſtas couſas tanto á vontade dos que lhas vendião, que iſſo couſaua virlhe tudo aos montes, de modo que em treze dias ſahio deſte porto com dous juncos nouos muyto grandes & alteroſos que ſe cõpraraõ a troco dos pequenos que leuaua, & duas lãteaas de remo lançadas do eſtaleyro, & cẽto & ſeſſenta marinheyros, aſsi para chuzma, como para marearem as vellas. Feito eſte apercebimento de todas as couſas neceſſarias, & poſtos

nòs de vergadalto, & as ancoras a pique para nos partirmos, ſe fez alardo geral de toda a gente que hia na armada, & ſe acharaõ por todas quinhentas peſſoas, aſsi de peleja como de ſeruiço, em que entrauão nouenta & cinco Portugueſes, todos gẽte mãceba & determinada para qualquer bom feito, & os mais, moços noſſos & marinheyros & gente da outra coſta que o Quiay Panjão trazia a ſoldo, os quais tambem eraõ exercitados na guerra como coſſayros que a continuauão auia cinco annos. Acharaõſe tambem na armada cento& ſeſſenta eſpingardas, & quarenta peças de artilharia de bronze, em que entrauão doze falcoẽs, dous camellos, hũa eſpera, & cinco roqueyros q̃ tirauão pilouros de pedreyros, & os mais berços, com dous caẽs como meyas eſperas, & ſeſſenta quintais de poluora, cinquenta & quatro de bõbarda, & ſeis de eſpingarda, a fora a que ja era dada aos arcabuzeyros, & nouecentas panellas, as quatrocentas de poluora, & as mais de cal virgem em pò, como os Chins cuſtumão, & muytas rocas de pedra, & ſetas. & lãças, & bombas de fogo que hum leuantiſco nos fazia por ſeu eſtipendio que por iſſo ſe lhe daua, & quatro mil zargunchos com põtas de ferro, que ao abalroar ſeruem de arremeſſo, & ſeis bateis de calhao, por ſer couſa cõ q̃ toda a eſquipaçaõ peleja, & doze arpeos de abalroar com ſuas fateixas talingadas em cadeas de ferro muyto compridas, & outros muytos artificios de fogo que os Chins nos inuentaraõ com cubiça do muyto que por iſſo ſe lhes daua. Com iſto nos partimos deſte lugar de Lailoo muyto embandeirados, com as gauias toldadas de pannos de ſeda, & os juncos & lorchas com duas ordẽs de paueſes por banda, com ſeus baileus de popa & de proa, & outros ſobrebaileus leuadiços para ſe poderẽ armar nos tempos neceſſarios; & prouue a noſſo Senhor que dentro de tres dias chegamos às peſqueiras onde Coja Acem tinha tomado o jũco dos Portugueſes, & tanto que anoiteceo Antonio de Faria mandou eſpiar o rio onde tinha por nouas que elle eſtaua. As eſpias trouxeraõ a bordo hum paraoo de peſcadores que tornaraõ, em que vinhaõ ſeis homẽs naturais da terra, os quais diſſeraõ que eſtaua o Coſſayro daly duas legoas metido num rio que ſe chamaua Tinlau, cõcertando o junco q̃ tomara aos Portugueſes, para nelle & em outros dous que tinha ſe yr para Sião donde era natural, & que ſe auia de partir daly a dez dias, com a qual informaçaõ Antonio de Faria aſſentou por parecer de algũs que para iſſo foraõ chamados, que todauia ſe mandaſſe ver pelos olhos, porque hũa couſa em q̃ tanto ſe auenturaua, não ſe aui de cometer aſsi às cegas, ſenão muyto bem viſta & eſcudrinhada, & que ſobre a certeza do que ſe viſſe, ſe determinaria o que pareceſſe bem a todos; & deſpejando então o paraoo em que vieraõ os ſeis peſcadores, o eſquiparaõ dos marinheyros do jũco do Quiay Panjão, por ſer eſquipaçaõ

mais fiel & ſegura, com ſos dous dos que ſe tomaraõ, porq̃ os mais ficaraõ em refẽs, & mandaraõ nelle hũ ſoldado por nome Vicente Moroſa homem esforçado & muyto ſeſudo, em trajos de Chim por não ſer conhecido, o qual chegando ao lugar onde os inimigos eſtauão, fingindo q̃ andaua peſcando como outros fazião, vio & eſpiou tudo quanto era neceſſario, & tornado a bordo deu relaçaõ do que vira, & affirmou que o inimigo eſtaua tão tomado às mãos, que em chegando aueria pouco que fazer nelle. Com eſta informaçaõ ſe ajuntaraõ todos no junco de Quiay Panjaõ, onde Antonio de Faria, pelo animar & fauorecer, & por lhe dar aquella honra, quiz que foſſe eſte couſelho, & nelle ſe aſſentou que tanto que foſſe noite foſſemos ſurgir na boca do rio, paraque ante menhã, co nome de Chriſto, deſſemos nos inimigos; & concluydos todos neſte parecer, proueo Antonio de Faria na ordem & maneyra que ſe auia de ter na entrada do rio, & no cometer os inimigos, & repartindo a gente, pós no junco de Quiay Panjão trinta Portugueſes quais elle quiz, porque em tudo lhe fazia a vontade, por ſer aſsi neceſſario, & nas duas lanteaas pós ſeis em cada hũa, & no jũco de Chriſtouão Borralho vinte, & com elle ficaraõ os mais que eraõ trinta & tres, a fora os eſcrauos & outra muyta gẽte Chriſtam valentes homẽs, & muyto fieis, & aſsi concertados na ordem neceſſaria para o que ſe eſperaua fazer com a ajuda de noſſo Senhor, deu a vella para o rio de Tinlau, onde chegou quaſi às Aue Marias, & paſſando a noite com boa vigia, tanto q̃ foraõ as tres horas deſpois de meya noite ſe fez â vella, & foy demandar o inimigo que eſtaua daly pouco mais de meya legoa pelo rio acima.