Peregrinaçam/LXI

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peregrinaçam por Fernão Mendes Pinto
CAP. LXI.
Como Antonio de Faria ſe partio deste rio Tinlau para Liampoo, & dum deſauenturado ſucceſſo que teue na viagem.


Deſpois de auer ja vinte & quatro dias que Antonio de Faria eſtaua neſte rio de Tinlau, dentro nos quais os feridos todos conualeceraõ, ſe partio para Liampoo, onde leuaua determinado de inuernar, para dahy na entrada do veraõ cometer a viagẽ das minas de Quãogeparu, como tinha aſſentado co Quiay Panjão que leuaua em ſua cõpanhia: & ſendo tanto auãte como a ponta de Micuy, que eſtâ em altura de vinte & ſeis graos, lhe deu hum rijo contraſte de Noroeſte, o qual, por conſelho dos Pilotos pairou à trinca, por não perder do caminho que tinha andado, eſte tempo carregou ſobola tarde, com chuueiros & mares tão groſſos, que as duas lanteaas de remo, pelo não poderem ſofrer, ſe fizeraõ ja quaſi noite na volta da terra, com propoſito de ſe meterẽ no rio de Xilendau, que eſtaua daly hũa legoa & meya. Antonio de Faria tambem, temendo que lhe aconteceſſe algum deſaſtre, ſe leuou o mais depreſſa que pode, & marcandoſe pela ſua eſteyra, as foy ſeguindo com obra de cinco ou ſeis palmos de vella ſomente, aſsi pelas naõ eſcorrer, como por ſer o impeto do vento tão rijo, que não auia podello

eſperar. E como a çarração da noite era muyto grande, & o eſcarceo arrebentaua todo em frol, não enxergou o baixo que eſtaua entre o ilheo & a ponta do arrecife, & varando por cima delle, deu tamanha pancada, que a ſobrequilha lhe arrebentou logo por quatro lugares, com parte do couce da quilha debaixo; & querendo então o ſeu condeſtabre dar fogo a hum falcão, paraque os outros juncos lhe acudiſſem naquelle trabalho, elle o não quiz conſentir dizendo, que ja que noſſo Senhor era ſeruido de elles aly acabarem, não queria, nem era razão, que tambem os outros por ſeu reſpeito aly ſe perdeſſem, mas que pedia & rogaua a todos que o ajudaſſem com trabalharem em publico com as maõs, & em ſecreto pedirem a Deos perdão de ſeus peccados, & graça para emendarem a vida, porq̃ ſe aſsi o fizeſſem de todo ſeu coração, elle lhes ſicaua q̃ muyto cedo ſe virião em ſaluo & liures daquelle trabalho. E com iſto arremetendo ao maſto grande, o fez cortar por junto dos tamboretes da ſegunda cuberta, & em eſte cayndo ficou o junco algum tanto quieto, inda que a ſua queda cuſtou a vida de tres marinheyros, & de hũ moço noſſo, q̃ ao cayr os colheo debaixo, & os fez em pedaços, & apos eſte mãdou tambem cortar todos os outros maſtos de popa &de proa, & arraſar todas as obras dos gaſalhados, de modo que tudo foy fora até a primeyra cuberta, & com quanto eſtas couſas ſe fazião com grande preſteza, quaſi que nada nos aproueitaua, por ſer o tempo tamanho, o mar tão groſſo, a noite tão eſcura, o eſcarceo tão alto, o chuueyro tão forte, & o impeto do vento tão incomportauel, & de refegas tão furioſas, que não auia homẽ que as pudeſſe eſperar co roſto direito. Neſte meſmo tempo os outros quatro juncos fizeraõ tambem ſinal como q̃ ſe perdião, a que Antonio de Faria, pondo os olhos no Ceo, & apertãdo as mãos, diſſe alto, q̃ todos o ouuiraõ, Senhor Ieſu Chriſto, aſsi como tu meu Deos por tua miſericordia tomaſte ſobre ty ſatisfazer na Cruz pelos peccadores, aſsi te peço por quẽ ès, que permitas por caſtigo da tua diuina juſtiça que eu ſó pague as offenſas que eſtes homẽs te fizerão, pois eu fuy a principal cauſa de elles peccarem contra tua diuina bõdade, porque ſe não vejão neſta triſte noite da maneyra q̃ eu por meus peccados agora me vejo, pelo q̃ Senhor te peço cõ dór da minha alma, em nome de todos, inda q̃ não ſou dino de me ouuires, q̃ tires os olhos de mim, & os ponhas em ty & no muyto q̃ te cuſtamos todos por tua infinita miſericordia; apos eſtas palauras deraõ todos hũa tamanha grita de Senhor Deos miſericordia, q̃ não auia homẽ q̃ não paſmaſſe de dor & triſteza. E como o natural de todos os homẽs he neſtes ſemelhãtes tẽpos trabalharem por conſeruar a vida, ſem lembrança de outra couſa nenhũa, era tamanho o deſejo que todos tinhão da ſaluaçaõ, que não procurauão por mais que pelos meyos que para iſſo

podião ter, pelo qual eſquecida de todo a cubiça, ſe entendeo logo com toda a preſteza em alijar a fazẽda ao mar, & ſaltando embaixo no praõ obra de cem homẽs, aſsi Portugueſes como eſcrauos & marinheyros, em menos de hũa hora foy tudo lançado ao mar, de maneyra que nenhũa couſa ficou a que ſe pudeſſe por nome que pelos bordos não foſſe fora, ſenão quanto foy taõ exceſsiuo o deſatino deſtes homẽs que atê de doze caixoẽs cheyos de barras de prata q̃ na briga paſſada ſe tomaraõ a Coja Acem, nenhum ficou que tambem não foſſe ao mar, ſem auer homem delles que tiueſſe acordo para ſe lẽbrar do que aquillo era, a fora outras couſas de muyta valia que na volta do mais foraõ por eſte triſte caminho.