Peregrinaçam/XLIII

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peregrinaçam por Fernão Mendes Pinto
CAP. XXXXIII. Do que este homem reſpondeo às perguntas que lhe fez Antonio de Faria, & do mais q̃ ahy aconteceo.


C

Hegado eſte homẽ jũto de Antonio de Faria, vendo elle que era brãco como qualquer de nós, lhe perguntou ſe era Turco ou Parſio, ao q̃ elle reſpondeo que não, mas que era Chriſtão, natural de monte Sinay, onde eſtaua o corpo da bemauenturada ſanta Caterina, a iſto lhe replicou Antonio de Faria, que pois era Chriſtão como dezia, como não andaua entre Chriſtãos, a que elle reſpondeo q̃ era mercador, & de boa progenie, por nome Tome Moſtãgue, & que eſtãdo ſurto com hũa nao ſua no porto
de Iudaa no anno de 1538. o Soleimão

Baxà Viſorrey do Cayro lha mandara tomar, como fizera a mais outras ſete, para trazerem mantimẽtos & muniçoẽs para fornimento da armada das ſeſſenta galês em que vinha por mandado do Turco, para reſtituyr o Soltão Baudur no reyno de Cambaya, de que o Mogor naquelle tempo o tinha deſapoſſado, & lançar os Portugueſes fora da India, & que vindo elle na meſma nao para a beneficiar & arrecadar o ſeu frete que lhe tinhão prometido, os Turcos, alem de lhe mentirem em tudo como ſempre coſtumão, lhe tomarão ſua molher, & hũa filha pequena que trazia comfigo, & perante elle as deshonraraõ publicamente, & porq̃ hum filho ſeu, chorando ſe lhes queixou deſte grande mal, lho lançaraõ viuo ao mar, atado de pees & de mãos, & a elle meteraõ em ferros, & lhe dauão todos os dias muytos açoutes, & lhe tomarão ſua fazenda, que eraõ mais de ſeis mil cruzados, dizẽdo, que não era licito lograr beẽs de Deos, ſenão os Maſſoleymoẽs, juſtos & ſantos afsi como elles; & porq̃ neſte meyo tempo lhe faleceraõ a molher & a filha, elle como deſeſperado ſe lançara hũa noite ao mar na barra de Diu, com aquelle moço ſeu filho, donde por terra fora ter a Çurrate, & dahy ſe viera ter a Malaca em hũa nao de Garcia de Saa Capitão de Baçaim, donde por mandado de dõ Eſteuão da Gama fora à China com Chriſtouão Sardinha, que fora feitor de Maluco, o qual eſtando hũa noite ſurto cm Cincaapura, o Quiay Taijão ſenhor daquelle junco matara cõ mais vinte & ſeis Portugueſes, & que a elle por ſer bombardeyro dera a vida, & o trazia comfigo por ſeu Cõdeſtabre. A que Antonio de Faria, dando hum grande brado, & batẽdo com a mão na teſta, a modo de eſpãto, diſſe, ó valhame Deos, ó valhame Deos, parece que he ſonho iſto que ouço, & virandoſe para os ſoldados q̃ eſtauão à roda, lhes contou todo o diſcurſo da vida daquelle Quiay Taijão, & lhe affirmou que por algũas vezes tinha mortos em embarcaçoẽs deſencaminhadas que achara pelo mar, & com pouca força, mais de cẽ Portugueſes, & roubados paſſante de cem mil cruzados, & que ainda que o ſeu nome era o que aquelle Armenio dizia Quiay Taijão, deſpois que em Cineaapura matara Chriſtouão Sardinha, ſe nomeaua, por vamgloria do q̃ fizera, o Capitão Sardinha, & perguntando ao Armenio por elle, ou onde eſtaua, diſſe que eſtaua eſcondido na proa do junco no payol das amarras, muyto ferido, com mais outros ſeis ou ſete. Antonio de Faria ſe leuantou logo com muyta preſſa, & ſe foy ao lugar onde o perro eſtaua, & os mais dos ſoldados ſe foraõ tras elle, & abrindo o eſcotilhão do payol para ver ſe era verdade o que o Armenio diſſera, o perro com os ſeis que com elle eſtauão ſe ſayrão por outro eſcotilhão que eſtaua mais abaixo, & feitos a amoucos arremeteraõ aos noſſos, q̃ paſſauão de trinta,

a fora outros quarenta moços, &

nouo ſe tornou a trauar a briga de tal maneyra que em pouco mais de tres credos que os noſſos os acabaraõ de matar, elles nos matarão dous Portugueſes, & ſete moços, & feriraõ mais de vinte, & o Capitão Antonio de Faria ficou com duas cutiladas na cabeça, & hũa num braço de q̃ eſteue muyto maltratado. Acabado eſte deſtroço, & deſpois de ſerem curados todos os feridos, que ſeria ja quaſi ás dez horas, ſe mandou fazer à vella por ſe temer dos quarenta juncos da armada que eſtauão dentro no rio, & afaſtandonos bem da terra, fomos ſurgir ja quaſi noite na outra coſta da Cauchenchina, onde ſe fez inuentairo do que trazia o junco deſte ladraõ & ſe acharaõ quinhentos bares de pimenta, de cinquenta quintais o bar, & ſeſſenta de ſandalos, & quarẽta de nòz & maça, & oitenta de eſtanho, & trinta de marfim, & doze de cera, & cinco de aguila fina, o que tudo, pela valia da terra, podia montar até ſeſſenta mil cruzados, a fora hum camello, & quatro falcoẽs, & treze berços de metal, da qual artilharia a mayor parte fora noſſa, que eſte Mouro tinha roubado na nao de Chriſtouão Sardinha, & no jũco de Ioão de Oliueyra, & no nauio de Bertolameu de Matos. E acharaõfe mais tres arcas encouradas, com muytas colchas & veſtidos de Portugueſes, & hum prato de prata dagoa ás mãos, dourado, com ſeu gomil & ſaleyro da meſma maneyta, & vinte & duas colheres, & tres caſtiçaes, & cinco copos dourados, & cinquenta & oito eſpingardas, & ſeſſenta & duas corjas de roupa de Bengala, o qual mouel todo fora de Portugueſes, & dezoito quintais de poluora, & noue crianças de ſeis até oito annos, todos com bragas nas pernas, & algemas nas mãos, & tais q̃ era laſtima velos da maneyra q̃ eſtauão, porque não trazião mais que as pelles ſomente pegadas nos oſſos.