Tradução Brasileira da Bíblia/Salmos/LXXIII

Wikisource, a biblioteca livre
< Tradução Brasileira da Bíblia‎ | Salmos
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Salmos - Salmo LXXIII
por Vários


  1. De feito Deus é bom para com Israel, Para com os que são puros de coração.
  2. Mas quanto a mim, quase que os pés me resvalaram; Pouco faltou que os meus passos escorregassem.
  3. Pois eu tinha inveja dos arrogantes, Vendo a prosperidade dos perversos.
  4. Porque eles não têm apertos, São e robusto é o seu corpo.
  5. Não participam das tribulações humanas, Nem como os outros homens são flagelados.
  6. Por isso a soberba os cinge com um colar; A violência, como um vestido, os cobre.
  7. Os olhos soltam-lhes da gordura, As fantasias da sua mente trasbordam.
  8. Eles motejam e falam maliciosamente da opressão; Falam arrogantemente.
  9. Põem nos céus a sua boca, E a sua língua percorre a terra.
  10. Portanto para tais se desvia tal povo, Que bebe as suas águas em abundância,
  11. Dizendo: Como sabe Deus? Acaso há conhecimento no Altíssimo?
  12. Eis que tais são os perversos; E estando sempre em segurança, aumentam de opulência.
  13. De certo em vão é que tenho purificado o meu coração, E lavado as minhas mãos na inocência,
  14. Pois tenho sido afligido de contínuo, E castigado toda a manhã.
  15. Se eu tivesse dito: Proferirei tais palavras, Eis que me teria havido traiçoeiramente para com a geração de teus filhos.
  16. Quando eu pensava para compreender isto, Achei que era tarefa difícil para mim;
  17. Até que entrei no santuário de Deus, E considerei o fim deles.
  18. De certo tu os colocas em lugares escorregadios, Tu os lanças em destruição.
  19. Como são levados à destruição num momento! Ficam de todo consumidos de terrores.
  20. Como um sonho, quando se acorda; Assim tu, ó Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem deles.
  21. Quando o meu coração se exacerbava, E sentia retalharem-se-me os rins,
  22. Eu estava embrutecido e ignorante: Tornei-me como um animal diante de ti.
  23. Todavia estava eu de contínuo contigo, Tu me tomaste pela mão direita.
  24. Guiar-me-ás com o teu conselho, E depois me receberás na glória.
  25. Quem, senão a ti, tenho eu nos céus? Não há na terra quem eu deseje além de ti.
  26. Desfalecem a minha carne e o meu coração; Do meu coração, porém, Deus é a fortaleza, e o meu quinhão para sempre.
  27. Pois eis que hão de perecer os que se apartam de ti; Exterminarás a todos os que se desviam de ti.
  28. Mas quanto a mim, bom é aproximar-me de Deus; No Senhor Jeová ponho o meu refúgio, Para que eu fale de todas as suas obras.