Tradução Brasileira da Bíblia/Salmos/XVIII

Wikisource, a biblioteca livre
< Tradução Brasileira da Bíblia‎ | Salmos
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Salmos - Salmo XVIII
por Vários


  1. Com fervor te amo, Jeová, força minha.
  2. Jeová é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; O meu Deus, o meu rochedo em que me refugio; O meu escudo, o meu Salvador poderoso, meu alto refúgio.
  3. Invocando a Jeová que é digno de ser louvado, Dos meus inimigos sou salvo.
  4. Rodearam-me cordas de morte, E torrentes de perdição me amedrontaram.
  5. Cercaram-me cordas do Cheol, Laços de morte me sobrevieram.
  6. Na minha angústia invoquei a Jeová, E clamei por socorro ao meu Deus; Ele ouviu do seu templo a minha voz, E o clamor que lhe fiz entrou nos seus ouvidos.
  7. Abalou-se então a terra e tremeu, Também os fundamentos dos montes se moveram E se abalaram, porque se acendeu a sua ira.
  8. Subiu fumaça dos seus narizes, E fogo devorador saiu da sua boca: Dele saíram brasas ardentes.
  9. Ele abaixou os céus e desceu, Tendo debaixo dos seus pés densa escuridão.
  10. Montou num querubim e voou; Sim voou velozmente sobre as asas do vento.
  11. Fez das trevas o seu retiro secreto, seu pavilhão ao redor de si: Escuridade de águas, espessas nuvens dos céus.
  12. Do resplendor que diante dele havia, saíam pelas suas espessas nuvens Saraiva e carvão de fogo.
  13. Então Jeová trovejou nos céus, E o Altíssimo fez soar a sua voz: Saraiva e carvões de fogo.
  14. Enviou as suas setas e os dispersou; Amiudados raios, e os conturbou.
  15. Então apareceu o leito das águas, E foram descobertos os fundamentos do mundo, Pela tua repreensão, Jeová, Pelo sopro dos ventos dos teus narizes.
  16. Ele estendeu lá do alto o braço, me tomou E me tirou das muitas águas.
  17. Livrou-me do meu inimigo forte, E dos que me odiaram, porque foram mais poderosos que eu.
  18. Eles me acometeram no dia da minha calamidade; Mas Jeová tornou-se o meu amparo.
  19. Ele me tirou para um lugar espaçoso; Livrou-me, porque tinha prazer em mim.

  20. Recompensou-me Jeová segundo a minha retidão, Retribuiu-me segundo a pureza das minhas mãos.
  21. Pois tenho guardado o caminho de Jeová, E não me tenho apartado impiamente do meu Deus.
  22. Porque todos os seus juízos estão diante de mim, E não afasto de mim os seus estatutos.
  23. Fui perfeito para com ele, E me guardei da iniqüidade.
  24. Por isso Jeová me retribuiu segundo a minha retidão, Segundo a pureza das minhas mãos, aos seus olhos.
  25. Com o benigno te mostrarás benigno; Com o homem perfeito te mostrarás perfeito;
  26. Com o puro te mostrarás puro; Com o perverso te mostrarás contrário.
  27. Porque tu salvarás ao povo humilde, Mas os olhos altivos tu os abaterás.
  28. Pois tu acendes a minha lâmpada; Jeová, meu Deus, é quem alumia as minhas trevas.

  29. Pois com o teu auxílio dou numa tropa, Com o auxílio do meu Deus salto uma muralha.
  30. Quanto a Deus, perfeito é o seu caminho; A palavra de Jeová é provada; Ele é escudo para todos os que nele se refugiam.
  31. Pois quem é Deus a não ser Jeová? E quem é rocha, senão o nosso Deus?
  32. O Deus que me veste de força, E torna perfeito o meu caminho.
  33. Ele faz os meus pés como os das corças, E me coloca em pé em meus lugares altos.
  34. Ele adestra as minhas mãos para a peleja, A ponto de vergarem os meus braços um arco de bronze.
  35. Deste-me também os escudos da minha salvação; A tua direita me susteve, E a tua condescendência me engrandeceu.
  36. Alargaste os meus passos diante de mim, E não resvalaram os meus pés.
  37. Persegui os meus inimigos e os alcancei; Não voltei até haver acabado com eles.
  38. Dei neles até que não puderam levantar-se; Caíram debaixo dos meus pés.
  39. Pois me cingiste de força para a peleja; Submeteste-me os que se levantaram contra mim.
  40. Também fizeste que os meus inimigos me dessem as costas. E quanto aos que me odeiam, eu os exterminei.
  41. Gritaram por socorro, porém não houve quem os salvasse; Gritaram a Jeová, mas ele não lhes respondeu.
  42. Então os esmiucei como o pó diante do vento, Lancei-os fora como a lama das ruas.
  43. Livraste-me das contendas do povo, Fizeste-me cabeça das nações: Um povo, que não conheci, me serviu.
  44. Mal ouviram, logo me prestaram obediência; Os estrangeiros a mim se submeteram.
  45. Os estrangeiros sumiram-se, E saíram tremendo das suas fortificações.
  46. Vive Jeová, e bendita seja a minha rocha; E exaltado seja o Deus da minha salvação,
  47. O Deus, que por mim tomou vingança E sujeitou povos debaixo de mim.
  48. Ele me livrou dos meus inimigos. Tu me elevaste acima dos que se levantaram contra mim; Livraste-me do homem violento.
  49. Portanto, Jeová, eu te darei graças entre as nações, E cantarei louvores ao teu nome.
  50. Pois Jeová dá grande livramento ao seu rei, E usa de benignidade para com o seu ungido, Para com Davi e sua semente para sempre.