Dicionário de Cultura Básica/Protágoras

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Protágoras


PROTÁGORAS (sofista grego)

O homem é a medida de todas as coisas,
das que são enquanto são e
das que não são enquanto não são.

O trecho acima é um dos poucos fragmentos que restaram das obras do sofista Protágoras (486–404), que nasceu em Abdera, mas viveu algum tempo em Atenas, onde conheceu as inteligências mais influentes do período ático da Grécia: Péricles, Eurípides, Sócrates. Ele pode ser considerado o Einstein da antiguidade pelo seu "relativismo" humanístico. Protágoras teve a clara percepção de que não existem verdades absolutas e eternas, sendo tudo relativo a um tempo e a um lugar. Qualquer julgamento de valor é sempre subjetivo, pois relacionado com o ser pensante. Ninguém pode dar o que não tem dentro de si. Quem tem bondade no coração é levado naturalmente a praticar a caridade ou quem não sabe nada não tem condições de ensinar. Por ter afirmado que era impossível demonstrar racionalmente a existência dos deuses foi acusado de impiedade e condenado à morte; mas, diferentemente do mestre Sócrates, Protágoras escapou da execução, fugindo de Atenas. O sábio Platão dá o nome de Protágoras a um dos seus "Diálogos", onde se discute a questão: "É possível ensinar a virtude?".