Tradução Brasileira da Bíblia/Salmos/XXXV

Wikisource, a biblioteca livre
< Tradução Brasileira da Bíblia‎ | Salmos
Ir para: navegação, pesquisa
Salmos - Salmo XXXV
por Vários


  1. Contende, Jeová, com os que comigo contendem, Peleja contra os que contra mim pelejam.
  2. Toma o escudo e o pavês, E levanta-te em meu auxílio.
  3. Tira da lança, e embarga o passo aos que me perseguem. Dize à minha alma: Eu sou a tua salvação.
  4. Sejam envergonhados e cobertos de desonra os que buscam tirar-me a vida; Sejam obrigados a voltar atrás, e sejam confundidos os que tramam fazer-me o mal.
  5. Sejam como a moinha diante do vento, Acossando-os o anjo de Jeová.
  6. Torne-se o seu caminho escuro e escorregadio, Perseguindo-os o anjo de Jeová.
  7. Pois sem causa esconderam para mim um laço, Sem causa abriram para a minha alma uma cova.
  8. Venha sobre ele a destruição, quando menos pensa; Apanhe-o o próprio laço que escondeu: Nele caia para a sua destruição.
  9. A minha alma exultará em Jeová, Regozijar-se-á na sua salvação.
  10. Todos os meus ossos dirão: Jeová, quem é semelhante a ti, Que livras o pobre daquele que é mais forte do que ele, O pobre e o necessitado, do que o despoja?

  11. Levantam-se testemunhas injustas; Sobre coisas que ignoro, me interrogam.
  12. Tornam-me o mal pelo bem, O que é um esbulho para a minha alma.
  13. Mas quanto a mim, estando eles enfermos, Era o saco a minha vestidura; Eu afligia a minha alma com jejum; A minha oração, porém, voltou para o meu seio.
  14. Portava-me como se fora o meu amigo ou meu irmão; Eu ia curvado em pranto, como quem chora por sua mãe.
  15. Mas quando tropecei, eles se regozijaram e se ajuntaram; Ajuntam-se contra mim, injuriando-me por motivos que ignoro; Dilaceram-me e não cessam:
  16. Como vis bufões nos festins, Rangem contra mim os dentes.

  17. Senhor, por quanto tempo estarás olhando? Livra a minha alma das suas violências, Dos leões a minha predileta.
  18. Dar-te-ei graças na grande congregação, Entre muito povo te louvarei.
  19. Não se regozijem injustamente sobre mim os meus inimigos, Nem pisquem o olho os que sem causa me odeiam.
  20. Pois não falam paz, Mas tramam enganos contra os que estão quietos sobre a terra.
  21. Escancararam contra mim a boca; Disseram: Ainda bem! ainda bem! os nossos olhos o viram.
  22. Tu os viste, Jeová, não fiques calado; Senhor não te afastes de mim.
  23. Acorda e desperta para o meu julgamento, Para a minha causa, Deus meu e Senhor meu.
  24. Julga-me, Jeová Deus meu, segundo a tua retidão; E não se regozijem eles sobre mim.
  25. Não digam eles em seu coração: Ainda bem! cumpriu-se o nosso desejo; Não digam eles: Nós o devoramos.
  26. Sejam envergonhados e confundidos juntamente os que se regozijam com o meu mal; Cubram-se de vergonha e de ignomínia os que se engrandecem contra mim.
  27. Cantem de júbilo e se alegrem os que têm prazer na minha retidão; Digam continuamente: Seja magnificado Jeová, Que se deleita na prosperidade do seu servo.
  28. A minha língua celebrará a tua justiça E o teu louvor durante o dia todo.