Cuidas tu, louro Flaco, que apertando

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Cuidas tu, louro Flaco, que apertando)
por Ricardo Reis
Variante em manuscrito de texto publicado por Fernando Pessoa na primeira edição da revista Athena, outubro de 1924, p. 19-24.
HSArchive.svg O Wikisource possui mais edições deste texto


Cuidas tu, louro Flaco, que apertando
Os teus estéreis, trabalhosos dias
   Em feixes de hirta lenha,
   Cumpres a tua vida?
A tua lenha é só peso que levas
Para onde não tens fogo a que aquecer-te
   Nem levam peso ao colo
   As sombras que seremos.
Aprende calma com o céu unido
E com a fonte a ter unido curso.
   Não sejas a clepsidra
   Que conta as horas de outros.
 
11-7-1914