Dicionário de Cultura Básica/Capitalismo

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Capitalismo


CAPITALISMO (regime político, social e econômico) → Marx

Do latim caput, cápitis, que significa "cabeça", testa, o termo "capital" passou a indicar o que é fundamental, mais importante, visto ser a cabeça a parte mais nobre do corpo humano. Assim, falamos dos "sete pecados capitais" (avareza, cólera, gula, inveja, luxúria, orgulho e preguiça), considerados como as principais falhas do homem, e chamamos de Capital à cidade-sede de um país. Em Economia, o capital indica a soma dos bens móveis, imóveis e monetários que uma pessoa possui. Capitalista é a pessoa que vive dos rendimentos do seu capital emprestado a juros ou investido em empresas. Capitalismo é um sistema econômico, com estatuto jurídico, fundamentado na empresa privada, na liberdade de mercado e na força do trabalho humano. O sistema de produção capitalista está baseado na lei da mais-valia (do trabalho excedente): o trabalho, pago pelo empregador aos operários por horas determinadas, produz um lucro maior do necessário para sua manutenção. Esta mais-valia produz um capital adicional que, reaplicado pelo dono da empresa, se transforma numa outra "mais-valia". Fundamental para o entendimento do Capitalismo é o estudo da figura de Karl Marx, cuja obra Das Kapital, publicada no fim do séc. XIX, provocou uma revolução no mundo econômico, político e social comparável à suscitada por Darwin, nas ciências biológicas, quando editara, umas três décadas antes, A Origem das Espécies. A origem histórica do Capitalismo, até hoje, é motiva de controvérsias. Alguns estudiosos, colocam seu início na época das Cruzadas, na Baixa Idade Média, quando se rompeu o cerco muçulmano (→ Maomé) na bacia do Mediterrâneo e começara o ciclo do intercâmbio comercial entre a Europa , a África e o Oriente Médio. Outros postergam seu começo até às Grandes Navegações, ligando o início do Capitalismo com o espírito aventureiro de espanhóis e holandeses e com a alta burguesia da Renascença italiana. O sociólogo e economista alemão Max Weber, na famosa obra A Ética protestante e o espírito do Capitalismo (1905), aponta as afinidades entre a mentalidade capitalista e o calvinismo do séc. XVII, ressaltando o papel importante do surgimento da burocracia para racionalizar progressivamente o sistema social. Já os estudiosos de tendência marxista acham que o verdadeiro Capitalismo surgiu com a Revolução Industrial, a partir da segunda metade do séc. XVIII, quando iniciou o confronto entre a força do trabalho humano e os meios econômicos necessários para a produção de bens. O Capitalismo é chamado de "selvagem", quando, como as feras do mundo animal, os homens poderosos apresentam o "triplo A", de ávido, agressivo e acumulador, segundo o jornalista americano Richard Conniff, autor da recente obra História Natural dos Ricos, onde se encontram tecidas sutis e hilariantes comparações entre o modo de vida egoísta e prepotente dos símios fortes e dos humanos endinheirados.