Dicionário de Cultura Básica/Helenismo

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Helenismo


HELENISMO (difusão cultural) → GréciaAlexandriaRoma

Num sentido geral, helênico é igual a grego, pois o nome da Grécia Antiga era Hélade. Mas, historicamente, na divisão da cultura grega em vários períodos, o helenismo seria a fase pós-clássica, que se estende da perda da independência da Grécia até à queda do Império Romano do Oriente, distinguindo-se várias épocas:

1) Helenismo alexandrino, que vai da conquista da Grécia e do Oriente Médio (Irã, Turquestão, Egito e toda a bacia do Mediterrâneo) pelo imperador macedônico Alexandre o Grande (+323 a.C.) até à dominação romana (31 a.C). É a fase da "divulgação" da produção artística produzida nos séc. V, durante o período clássico da Grécia. Alexandria está entre Atenas (→ Grécia) e Roma na difusão da cultura grega.
2) Helenismo romano, que domina durante o período áureo e imperial da cultura latina, até à queda do Império Romano do Ocidente (476 d.C).
3) Helenismo cristão, que inicia a partir da liberdade de culto concedida pelo imperador Constantino (Edito de Milão, do ano 313), estendendo-se durante a vigência do Império Romano do Ocidente e do Oriente (de 395 a 1453) e que perdura até hoje, onde a religião cristã tem seus adeptos, pois o Cristianismo (→ Cristo), em seus diferentes credos (→ Catolicismo, Protestantismo (→ Lutero), Igreja Ortodoxa), está impregnado da cultura greco-romana.
4) Helenismo bizantino, que vigorou durante o império cristão greco-oriental, que sucedeu ao Império Romano do Oriente, estendendo-se pelos Bálcãs, Ásia Menor, Síria e Egito. A história da civilização bizantina está intimamente relacionada com os três nomes que, sucessivamente, passaram a denominar a capital do vasto império: "Bizâncio", a antiga colônia grega, fundada por helenos provenientes de Megara e Argos, no séc. VII a.C., no estreito do Bósforo, que separa a Turquia asiática da parte européia; "Constantinopla", que marca a herança do imperador romano Constantino, o Grande, a partir do séc. IV ; "Istambul", denominação atual: arrasada pelos cruzados em 1204 e tomada pelos turcos em 1453, tornou-se a capital do Império Otomano, até a proclamação da República da Turquia, em 1923, quando Ancara passou a ser a capital. A cultura bizantina se irradiou pela bacia do Mediterrâneo, tendo um estilo próprio, caracterizado por uma sutileza extrema, a ponto de o adjetivo "bizantino" se vulgarizar para indicar um requinte excessivo nas discussões teológicas ou nas formas artísticas.