Autor:Álvaro de Campos

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa

Álvaro de Campos (1890 - 1935) é um dos heterônimos mais conhecidos de Fernando Pessoa. Nascido em Tavira, teve a educação de Liceu comum de sua época, posteriormente foi para a Escócia estudar engenharia mecânica, e depois engenharia naval. Em férias fez uma viagem ao Oriente onde escreveu o Opiário. Entre todos os heterônimos, Campos foi o único a manifestar fases poéticas diferentes ao longo de sua obra. Era um engenheiro de educação inglesa e origem portuguesa, mas sempre com a sensação de ser um estrangeiro em qualquer parte do mundo.

O único texto aqui assinado como Álvaro de Campos que não é poesia é Nota Preliminar.

Poemas[editar]

  1. A Casa Branca Nau Preta
  2. A Fernando Pessoa
  3. A Frescura
  4. A plácida face anônima de um morto.
  5. A Praça
  6. Acaso
  7. Acordar
  8. Adiamento
  9. Afinal
  10. Ah, Onde Estou
  11. Ah, Perante
  12. Ah, um Soneto...
  13. Ali Não Havia
  14. Aniversário
  15. Ao Volante
  16. Apontamento
  17. Apostila
  18. Às vezes tenho idéias felizes,
  19. Barrow-on-Furness
  20. Bicarbonato de Soda
  21. Chega Através
  22. Clearly non-Campos!
  23. Começa a Haver
  24. Começo a conhecer-me. Não existo
  25. Conclusão a sucata!... Fiz o cálculo
  26. Contudo
  27. Cruz na Porta
  28. Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da Baixa
  29. Datilografia
  30. De la Musique
  31. Demogorgon
  32. Depus a Máscara
  33. Desfraldando ao conjunto fictício dos céus estrelados
  34. Dobrada à Moda do Porto
  35. Dois Excertos de Odes
  36. Domingo Irei
  37. Encostei-me
  38. Escrito Num Livro abandonado em Viagem
  39. Esta Velha Esta obra tem uma versão audível
  40. Estou
  41. Estou Cansado
  42. Eu
  43. Faróis
  44. Gazetilha
  45. Gostava
  46. Grandes são os desertos, e tudo é deserto
  47. Há Mais
  48. Insônia
  49. Là-bas, Je Ne Sais Où...
  50. Lisboa
  51. Lisbon Revisited (1923)
  52. Lisbon Revisited (1926)
  53. Magnificat
  54. Marinetti Acadêmico
  55. Mas Eu
  56. Mestre
  57. Na Casa Defronte
  58. Na Noite Terrivel
  59. Na Véspera
  60. Não Estou
  61. Não, não é cansaço...
  62. Não: Devagar
  63. Nas Praças
  64. No Fim
  65. No lugar dos palácios desertos
  66. Nunca, por Mais
  67. Nuvens
  68. O Binômio de Newton
  69. O Descalabro
  70. O Esplendor
  71. O Florir
  72. O Frio Especial
  73. O Mesmo
  74. O Que Há
  75. O Sono
  76. O ter deveres, que prolixa coisa!
  77. O Tumulto
  78. Ode Marcial
  79. Ode Marítima
  80. Ode Triunfal
  81. Opiário Esta obra tem uma versão audível
  82. Ora
  83. Os Antigos
  84. Passagem das Horas
  85. Pecado Original
  86. Poema em Linha Reta
  87. Psiquetipia (Ou Psicitipia)
  88. Quando
  89. Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota!
  90. Que noite serena!
  91. Quero Acabar
  92. Realidade
  93. Reticências
  94. Saudação a Walt Whitman
  95. Se te Queres
  96. Símbolos
  97. Soneto Já Antigo
  98. Sou Eu
  99. Tabacaria
  100. Tenho
  101. The Times
  102. Todas as Cartas de Amor são Ridículas
  103. Trapo
  104. Vai pelo cais fora um bulício de chegada próxima
  105. Vilegiatura
AUTORES
ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ