Dicionário de Cultura Básica/Arte

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Arte


ARTE (artista, artesão, relação com a Filosofia e as Ciências) → Conhecimento

"A arte nasce da dor, como a pérola"
(Monteiro Lobato)

Assim como a Filosofia, a Ciência e a Religião, a Arte é uma das quatro macroformas do conhecimento do homem e da realidade que nos circunda. Num sentido restrito, o que distingue o conhecimento artístico é o meio do que se serve: enquanto a filosofia opera através do pensamento reflexivo, a ciência faz uso da observação e experimentação e a religião da crença ou fé, a arte utiliza a "ficção", isto é, a fantasia, a imaginação. Mas, num sentido amplo, o nome, do acusativo latino "artem", passou a significar vários tipos de atividades e de habilidades. Ainda hoje , falamos da arte de pescar, de amar, de jogar futebol, de confeccionar objetos etc., tendo algo em comum com técnica e artesanato. Como ocorre em todas as culturas primitivas ou indígenas, a arte está profundamente ligada às necessidades cotidianas, evidenciando-se seu fim utilitário. Assim, por exemplo, o desenho da figura de um certo animal num rochedo estava a indicar que ali era uma zona de perigo. Os antigos romanos chamavam de satura, termo que acumula o sema de "mistura de várias coisas", o moderno "saturado", com o sema de "gozação" (→Sátira), à primeira forma artística dos camponeses do Lácio que, nas festas comemorativas das colheitas, ofereciam aos deuses um prato cheio (satura lanx) dos primeiros frutos da terra, narrando mitos, cantando, dançando, tocando rústicos instrumentos musicais, declamando poemas ou narrando episódios da vida cotidiana. Na verdade, nos primórdios de todo povo, existe sempre uma mistura das várias formas artísticas. Só mais tarde, com o progresso civilizacional, cada arte começa, aos poucos, a adquirir sua especificidade, a música se separando da poesia, o romance do teatro, a imagem fixa (pintura) da móvel (cinema), surgindo novas formas artísticas. A interdependência das várias artes, estudada por Étienne Souriau na obra A correspondência das artes, hoje é claramente percebível no teatro da Ópera, onde se conjugam, no mesmo espetáculo, a história romanesca, o canto lírico, a música orquestrada, a representação dramática, a cenografia, a sonoplastia, os efeitos luminosos, a relação ator/personagem e autor/diretor.

A arte, em qualquer de sua forma, visa superar os limites humanos do tempo e do espaço, buscando o infinito e o absoluto. Como afirmou Pablo Picasso, "na arte não existe passado nem futur;a arte que não está no presente não existirá nunca". Outra característica fundamental do objeto estético, salientada pelo grande pintor espanhol, é sua receptividade: "um quadro vive apenas através de quem o contempla". A arte já foi definida como "a estética do sublime". Para o filósofo alemão F.Nietzsche, ela é mais gratificante do que a ciência: "temos a arte para não morrer pela verdade". Se nosso destino comum é a velhice, a doença, a morte e o esquecimento, o artista, mais do que o cientista, o filósofo ou até o homem religioso, alimenta-se da esperança da sobrevivência. O poeta latino Horácio tinha plena consciência da importância da sua arte, quando afirmou: "erigi para mim um monumento mais duradouro do que o bronze". Outra característica da arte é desnudar o que está coberto, tentar colocar ao nível de superfície o que está nas profundezas da alma. E faz isso de uma forma quase imperceptível. Conforme a bela imagem de Carlos Drummond de Andrade, "o Romance é a arte de destelhar casas sem que os transeuntes percebam". Os Formalistas russos põem em relevo o efeito de estranhamento, já detectado pelo poeta Baudelaire, quando dizia: "o importante na obra de arte é o espanto".

As obras de arte podem ser classificadas de várias formas. Pelo critério do país de origem (arte grega, egípcia, bizantina etc); do momento histórico (medieval, renascentista, moderna etc.); de um mecenas (período de Péricles, de Augusto, de Elisabete etc.); de estilo (gótica, rococó, mourisca etc.); de religião (arte cristã, muçulmana, budista etc.); do meio principal de expressão (espaço planificado→Arquitetura, tinta→Pintura, cinzel→Escultura, imagem móvel→Cinema, encenação→Teatro, movimento do corpo→Dança, palavra→Poesia, som→Música). Neste "dicionário cultural", usaremos o critério diacrônico, dando um apanhado da evolução das várias modalidades artísticas, com uma atenção especial para as chamadas "artes plásticas" (Pintura, Escultura e Arquitetura), destacando obras de autores considerados fundamentais (Leonardo da Vinci, Michelangelo, Picasso). Quanto ao conceito da arte como o "belo em si", relacionado com correntes filosóficas, ver Estética.