Espumas Flutuantes (1913)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Espumas Flutuantes
por Castro Alves
3. ed., 1913
CASTRO ALVEZ


ESPUMAS FLUCTUANTES

NOVA EDIÇÃO, CORRECTA E AUGMENTADA

COM UM JUIZO CRITICO

DE

ALBERTO DE OLIVEIRA





LIVRARIA GARNIER

109, RUA DO OUVIDOR, 109
Rio de Janeiro
6, RUE DES SAINTS-PÈRES, 6
PARIS
Á MEMORIA


DE


meu pae, de minha mãe e de meu irmão.


O. D. C.


SUPPLEMENTO


*** 
 283

A Castro Alves[editar]

Título / *primeiro verso Autor
Á margem la corrente José Bonifácio
A grande sombra Luís Delfino
Foram-se todas já. Uma era a bela* Raimundo Correia
Baixaste à campa, sonhador, na hora* Guimarães Júnior

Notas[editar]

  1. Tradução de poema escrito originalmente por Eugène Berthoud.
  2. Tradução de poema escrito originalmente por Lord Byron.
  3. Tradução de poema escrito originalmente por Abigaíl Lozano.
  4. Tradução de poema escrito originalmente por Victor Hugo.
  5. Tradução de poema escrito originalmente por Lord Byron.
  6. Tradução de poema escrito originalmente por Alphonse de Lamartine.
  7. Coletânea de poesias dedicadas a Castro Alves. Ver relação completa na seção A Castro Alves